Mariene de Castro e Roberta Sá na Casa Natura

Duas importantes cantoras brasileiras ligadas ao samba estão na programação da Casa Natura Musical (rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, na capita paulista) no mês de setembro. Nos dias 20 e 21, a baiana  Mariene de Castro levará ao palco do espaço o show “Santo de Casa”, enquanto a potiguar Roberta Sá mostrará o repertório de seu último disco, “Giro”, no dia 27.

Mariene de Castro, além de cantora, é atriz, instrumentista e bailarina. Lançou om primeiro álbum em 2005 e desde então foram sete lançamentos entre CDs e DVDs. Entre suas gravações mais conhecidas estão “Samba de Terreiro”, “A Deusa dos Orixás”, “Ponto de Nanã” e “Isso é Bom”. Conforme o press-release, ela despontou no cenário musical brasileiro identificada como uma força da natureza.  Quem a viu crescer nesses anos todos pôde notar em detalhes a lapidação de seu canto, potente, afinado e caloroso.

Os shows que ela fará na Casa tem como base o repertório de “Santo de Casa”, seu primeiro álbum ao vivo, lançado em 2010. Com 15 faixas, o CD foi produzido por ela e Gerson Silva, sob direção musical de Jurandir Santana. No repertório, músicas como “Samba de Terreiro”, “Cirandas’ e “Falsa Baiana”.

Conhecida por sucessos próprios e regravações de nomes como Chico Buarque e Zeca Pagodinho, Roberta Sá apresenta no dia 27 ao público da Casa Natura seu novo disco, “Giro” (lançado neste ano), que reúne um repertório composto por Gilberto Gil e parceiros. A ideia para este trabalho começou nos encontros em torno da mesa farta dos almoços de domingo do saudoso amigo e jornalista Jorge Bastos Moreno, no final de 2016. Nesse ambiente inspirador, Roberta teve a ideia de gravar um projeto só com canções do compositor baiano. Pouco depois, Gil a presenteou com a inédita “Giro”, já composta para o novo disco. O segundo presente foi “Afogamento”, parceria de Gil e Jorge Bastos Moreno (a gravação em dueto com Gil foi lançada em 2018, no álbum “Ok Ok Ok”, do baiano).

A partir dessas canções desenhou-se o álbum de inéditas de Gilberto Gil e parceiros, entre eles a própria Roberta, co-autora das canções “Cantando as Horas” (Gil e Roberta), “Xote da Modernidade” (Gil/Bem Gil/Roberta Sá), “Outra Coisa” (Gil/Roberta Sá/Yuri Queiroga) e “Fogo de Palha” (Gil/Bem Gil/Roberta Sá). A produção de “Giro” é de Bem Gil, filho de Gilberto, que também ficou responsável por arregimentar o time de músicos.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK! ÚLTIMAS NOTÍCIAS!